Zinedine Zidane: presidente do futebol francês pede desculpas por ‘comentários estranhos’ sobre futebol após reação



Reuters

O presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), Noel Le Graet, pediu desculpas Zinedine zidane na segunda-feira, após seus comentários sobre o ex- real Madrid treinador atraiu a ira de jogadores, políticos e até do clube espanhol.

Zidane era um dos favoritos para assumir o comando da seleção nacional se Didier Deschamps tivesse deixado o cargo, mas seu contrato foi prorrogado depois que ele levou a França à final da Copa do Mundo, onde perdeu para a Argentina no Catar no mês passado.

Quando perguntado se Zidane, vencedor da Copa do Mundo com a França em 1998 e um ícone nacional, agora comandaria a seleção brasileira, Le Graet disse à RMC: “Eu não dou a mínima, ele pode ir para onde quiser.”

Le Graet acrescentou que nem atenderia o telefone se Zidane ligasse, provocando uma reação negativa e seu subsequente pedido de desculpas.

“Gostaria de apresentar minhas desculpas pessoais por essas observações que absolutamente não refletem meus pensamentos, nem minha consideração pelo jogador que ele foi e pelo treinador que se tornou”, disse Le Graet em comunicado divulgado pelo L’Equipe.

“Admito que fiz comentários estranhos que criaram um mal-entendido. Zidane sabe da imensa estima que tenho por ele, como todos os franceses”.

No domingo, Le Graet disse que Zidane estava no radar e tinha muito apoio, mas não tinha chance de substituir Deschamps.

“Quem pode fazer sérias críticas a Deschamps? Ninguém… Se Zidane tentasse entrar em contato comigo? Claro que não, nem atendo o telefone”, dissera ele.

Zidane foi o primeiro treinador a vencer a Liga dos Campeões três vezes seguidas quando comandava o Real Madrid.

O jogador de 50 anos, que também venceu o Campeonato Europeu de 2000 com a França em uma brilhante carreira de jogador, está atualmente sem emprego depois que deixou o cargo no clube espanhol no ano passado.

atacante da frança Kylian Mbappé foi um dos primeiros a expressar sua desaprovação depois que os comentários de Le Graet foram ao ar.

“Zidane é a França, não desrespeitamos a lenda assim”, disse Mbappé no Twitter.

A demissão de Le Graet de Zidane como potencial sucessor de Deschamps ocorre dois anos depois que o dirigente de 81 anos apoiou o ex-meio-campista a assumir o comando caso estivesse disponível.

Além de treinar o Real, Zidane também passou cinco temporadas como jogador no clube da LaLiga, onde conquistou o campeonato e a Liga dos Campeões. O clube espanhol descreveu os comentários de Le Graet como “infeliz”.

“Essas observações mostram uma falta de respeito por uma das figuras mais admiradas pelos torcedores de futebol de todo o mundo e nosso clube aguarda uma correção imediata”, disse o Real Madrid.

“As declarações do presidente da Federação Francesa de Futebol são inadequadas para alguém que detém tal representação e são inadequadas em si mesmas”.

A ministra do Esporte da França, Amelie Oudea-Castera, foi uma das muitas políticas que reagiram aos comentários de Le Graet, dizendo que o presidente da “maior federação esportiva” do país passou dos limites.

“Ainda mais comentários fora do alcance e ainda por cima uma vergonhosa falta de respeito, que machuca a todos nós, em relação a uma lenda do futebol e do esporte”, escreveu ela no Twitter.

O político francês Pieyre-Alexandre Anglade também exigiu um pedido de desculpas de Le Graet, dizendo no Twitter: “Zidane é um monumento do futebol e do esporte francês. Uma personalidade amada por todos os franceses… Nosso futebol merece mais do que isso.”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *